EVENTOS

2008 - SHOW IRON MAIDEN

Cerca de 15 mil pessoas literalmente superlotaram o Ginásio do Gigantinho em Porto Alegre na noite da última quarta-feira para assistir ao show do sexteto britânico Iron Maiden.

Durante quase duas horas o público, em sua maioria espremido, viu o grupo desferir golpes musicais impiedosos com uma visita aos clássicos da banda ícone da geração "metaleira" da década de 80.

A apresentação na capital gaúcha encerra a etapa brasileira da turnê sul-americana da banda, após shows em São Paulo e Curitiba. Para o público da cidade o reencontro foi ainda mais marcante: a última vez que a "donzela" - como é conhecida a banda entre os fãs - esteve em Porto Alegre foi no distante ano de 1992 por ocasião da turnê do álbum Fear Of The Dark.

A noite musical começou às 20h com a apresentação da banda de Lauren Harris, filha do baixista e "chefão" do Iron Maiden, Steve Harris.

A apresentação de menos de meia hora foi mais que o suficiente para constatar que era a oportunidade ideal para ir ao bar buscar refresco ao calor intenso que fazia no Ginásio. Às 20h55, com as luzes ainda acesas, o sistema de som toca os acordes de Doctor, Doctor, do UFO.

A faixa é tradicional nas aberturas de shows do Maiden.

Com as luzes já apagadas um vídeo nos telões mostrava a saga da banda durante a turnê.

O avião personalizado e o vocalista Bruce Dickinson como o comandante da aeronave. O discurso do premiê britânico Winston Churchill anuncia a chegada da banda com o primeiro soco: Aces High do disco Powerslave, de 1984. Sem trocar de álbum, o Maiden solta o segundo golpe com 2 Minutes to Midnight, Revelations, do disco Piece of Mind, que fecha a trinca de abertura.

De farda vermelha e bandeira da Grã-Bretanha em punho, Bruce Dickinson apresenta The Trooper.

Estava declarada guerra aos ouvidos dos mais novos e memórias dos fãs mais velhos ¿ que não eram raros entre o público.

Vieram ainda Wasted Years, The Number of The Beast e Can I Play with Madness.

Com palco humilde para os padrões do Maiden, a banda seguiu desfilando clássicos e brandindo suas guitarras com uma seqüência de golpes.

A péssima acústica do local bem que se esforçou para atrapalhar, mas a apresentação seguiu quase irretocável com a epopéia musical de Rime of The Ancient Mariner, Powerslave, Heaven Can Wait e Run to the Hills.

Fear Of The Dark, que completa 16 anos, foi a faixa mais recente do show e a única dos anos 90.

Já a mais velha é quase trintona: Iron Maiden foi a única que não foi gravada originalmente na voz de Dickinson.

Faixa do álbum homônimo e debutante do grupo, a versão original tem o vocal quase punk de Paul Di¿Anno.

Já no bis, foi com essa música que deu-se o ponto alto da apresentação no que se refere a atrações extra-musicais.

Um boneco animado gigante do mascote da banda Eddie surge no palco disparando sua arma laser contra os seis integrantes, trajado como na capa de Somewhere in Time.

O público foi submetido ainda a Moonchild e The Clairvoyant do Seventh Son of a Seventh Son. Para encerrar a noite, o grupo escolheu Hallowed Be Thy Name, que fecha também o tracklist do disco The Number of The Beast.

Fôlego, postura e camisa na caraMais novo entre os integrantes da banda, Dickinson, 49 anos, é sem dúvida o grande condutor no palco.

Fôlego para pular de um canto a outro não falta.

Já para algumas músicas, sim. As esticadas em notas abertas que consagraram o estilo do Maiden parecem ter ficado pra trás. A própria postura do grupo abrandou.

A empolgação constante e uma quase devoção com os fãs durante o show, ao menos na noite de ontem, pareceu mais branda.

Ainda assim, Dickinson encontrou a chance de brincar com o público quando um telefone celular foi jogado ao palco e simulou ligar para a própria mãe. Ou ainda durante a introdução melódica da última música da noite quando uma camisa do Internacional atingiu em cheio o rosto do baixista Steve Harris. "Belo tiro", soltou o vocalista entre um verso e outro.

Organização e sobrou talento ao Maiden para conduzir a noite, faltou organização aos produtores. O ginásio foi lotado ao seu extremo e muita gente na pista e na arquibancada deve ter visto pouca coisa no palco. Para completar, as grades de contenção que separavam a pista de outros setores não foram sudicientes.

Lá pela terceira música uma delas foi posta a baixo e o setor das numeradas tomado por gente de todos os lados.

Promessa de volta assim como fez nos shows de São Paulo e Curitiba, o Iron Maiden prometeu voltar à cidade em breve para uma outra apresentação.

O próprio Dickinson pareceu questionar o fato do show ter sido colocado num Ginásio. "Há um estádio aqui do lado.

E nós vamos voltar aqui e não vamos jogar futebol.

Vamos tocar rock and roll." A banda formada ainda pelos guitarristas Dave Murray, Janick Gers e Adrian Smith, e pelo baterista Nicko McBrain segue em turnê pela América do Sul e se apresenta ainda na Argentina, Chile e Porto Rico.

A SCHUMACHER TUR agradece a cada cliente que viajou conosco a esse grande evento, na data de 05/03/08.

Muito obrigado!!!

* Acompanhe nossa programação de shows neste site e tambem em nossa página do facebook.



Voltar

RUA DO ACAMPAMENTO, 105 - SALA 09
55 3223 5067 | 55 3226 7155
SANTA MARIA - RS